Avança, hoje, quinta-feira, 13/06/2019, o periódico Jornal de Notícias que o número de Radares Fixos nas autoestradas nacionais vão duplicar, passando, assim, de 50 para 100. O concurso para a concretização desse feito abre já no próximo mês e presume-se que este investimento seja para travar o número de mortes na estrada, que, lamentavelmente,  já ultrapassa as duas centenas. Cumpre à equipa RADARES de Portugal sinalizar, assim que possível, essas cabines no Mapa das aplicações Android e Web (clique sobre Web para visualizar o Mapa da app Web), de forma a que os automobilistas sejam alertados da aproximação desses possíveis pontos (cabines) de fiscalização de velocidade em tempo real.

Há poucos dias, segundo o periódico Público, estava "em cima da mesa" a Câmara Municipal de Lisboa mandar instalar mais 20 radares fixos durante o próximo ano e, sobre este tema, aguardam-se mais novidades. 

Pelo seguro, como sempre aconselhamos, mais vale cumprir o Código da Estrada.

Fonte: jn.pt

Deixe os seus comentários

Publicar comentário como convidado

0
Seus comentários estão sujeitos à moderação do administrador.
  • « presume-se que este investimento seja para travar o número de mortes na estrada,»
    Eu presumo antes que é para arrecadarem mais uns (muitos..) euros de multas de incautos
    Essas medidas em nada combatem a sinistralidade pois o que causa os acidentes na esmagadora maioria dos casos são manobras perigosas nomeadamente ultrapassagens mal calculadas, desrespeito de prioridade nomeadamente de Stops em estradas, desatenções na condução como escrever mensagens ao TLM , fazerem curvas fora de mão, invasão da faixa da esquerda nas autoestradas por viaturas que estão a ser ultrapassadas e cujos condutores irresponsáveis não olham para o retrovisor etc etc causas que as autoridades negligenciam em detrimento do mais fácil que é a caça à multa por transgressão dos anacrónicos limites de velocidade nas autoestradas e aliás nem é nas autoestradas que se verifica o maior numero de acidentes É SIM NAS ESTRADAS IP'S E LOCALIDADES.
    Na Alemanha a maioria das autoestradas («Autobahn») não há limite de velocidade e a sinistralidade é francamente inferior à nossa.
    Não há vontade política para fiscalizar , ter uma acção pedagógica e reprimir os condutores que tem comportamentos que realmente contribuem para o incremento da sinistralidade.
    Deixo no ar uma pergunta:
    A velocidade é o factor que as autoridades consideram como principal causa dos acidentes rodoviários, e assim é o que mais procuram detectar e punir- todavia a sinistralidade não deixa de aumentar..... Estão a atacar no sitio certo ou a procurar arrecadar dinheiro para o Estado pelo mais fácil???
    Os portugueses deviam deixar de comprar viaturas «potentes» e talvez esta politica de sistemático ataque ao automobilista que tem prazer na condução e que sabe conduzir mudasse.
    Lamentávelmente não há um único jornalista digno desse nome que denuncie as coisas como elas são

  2005

 2009

  2013

  2014

App Mobile

Disponível no Google Play

Autenticação

Autenticação "Social"